Over 10 years we help companies reach their financial and branding goals. Engitech is a values-driven technology agency dedicated.

Gallery

Contacts

411 University St, Seattle, USA

engitech@oceanthemes.net

+1 -800-456-478-23

Segurança da Informação

Como a segurança digital deve ser tratada em processos de fusões, aquisições ou recebimento de investimentos?

Com certeza temas como fusões, aquisições ou aporte de investimentos já foram temas abordados em algum momento durante reuniões e atividades de planejamento de sua empresa. De fato, nós não podemos negar que existe um movimento global visando a consolidação de mercados, segmentos e plataformas digitais. No mundo das startups, por exemplo, a busca por investimentos é uma das principais estratégias de sustentabilidade do negócio.

As fusões, aquisições e aportes de fundos, permitem que as empresas dos mais diferentes tamanhos e segmentos, adicionem produtos, clientes e serviços aos seus portfólios, dando-lhes uma forma de escalar seus negócios e crescer mais rapidamente.

Porém, na prática, as organizações devem estar preparadas para todas as rotinas de diligência que passam a ser realizadas durante essa fase de mudança, não só nos processos contábeis e fiscais, mas também na gestão dos seus ativos digitais e nos procedimentos relacionados com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

Uma diligência cibernética, quando bem executada, será um fator-chave para o sucesso destes processos, pois com as ameaças cibernéticas cada vez mais complexas, os riscos financeiros e de reputação sempre serão avaliados, seja contra ou a favor da sua empresa.

No caso de fusões ou aquisições de empresas estes riscos são ainda maiores, pois em algum momento haverá a troca, integração ou descontinuidade de sistemas legados.

Segurança cibernética e privacidade de dados são fundamentais nos processos de fusões, aquisições e investimentos

Com um relato detalhado das práticas de segurança cibernética e privacidade de dados, as empresas são capazes de avaliar qualquer risco em que possam incorrer antes, durante e depois que um processo de fusão, aquisição ou investimento for finalizado.

Isso ajuda a evitar futuros incidentes relacionados a segurança cibernética, a exemplo do roubo de dados, pois você é capaz de identificar e lidar com os riscos potenciais antes de o negócio ser concluído.

Outra vantagem de realizar due diligence em negociações de fusões e aquisições é que ela pode ser usada para estabelecer benchmarks que podem ser aplicados na avaliação de novos investimentos. 

As vulnerabilidades presentes em sistemas não testados ou não confiáveis ​​adquiridos como parte de um processo de fusão e aquisição, se exploradas, podem potencialmente:

  • Afetar as operações do dia a dia e a disponibilidade dos sistemas de informação;
  • Levar a perdas financeiras, multas regulatórias e / ou repercussões legais;
  • Prejudicar o moral de funcionários novos e existentes após uma fusão e aquisição;
  • Resultar em danos à reputação da empresa.
  • E diversos outros impactos relacionados a paralisação de operações, danos a marca, clima organizacional, etc.

Mas como evitar uma violação de dados que pode inviabilizar uma fusão, aquisição ou aporte de investimentos?

As empresas podem integrar ambientes de TI de várias maneiras durante o processo de fusão e aquisição. As ações a serem seguidos na transição, de forma a minimizar os riscos ao negócio, são os seguintes:

  • Evite esperar até que a fusão e aquisição esteja concluída para começar a agir, isso deixa as organizações despreparadas para riscos financeiros de longo prazo. 
  • Fique atento, assim que as notícias de fusões e aquisições começam a circular, os cibercriminosos procuram encontrar brechas nas redes e sistemas das partes envolvidas. Aproveitar uma falha de segurança neste estágio oferece aos criminosos digitais uma grande vantagem contra nossas equipes de segurança.  
  • Cibercriminosos podem obter acesso antes que as entidades fundidas ou adquiridas percebam os pontos fracos de segurança e os consertem. Eles também podem se esconder nas redes e sistemas pós-fusões e aquisições, uma vez que exploraram a vulnerabilidade, dando-lhes acesso às informações confidenciais de ambas as empresas.
  • Quanto mais cedo as empresas puderem avaliar de forma efetiva e objetiva o risco de segurança cibernética como parte do processo de fusões e aquisições, melhor poderão avaliar o custo total de ativos e passivos.
  • Revise as avaliações de impacto de negócios de cada empresa para determinar quais unidades de negócios são fortemente afetadas se os ambientes de TI, aplicativos e sistema não estiverem disponíveis;
  • Obtenha um inventário completo de todo o hardware, dispositivos de rede, sistemas, equipamentos moveis, propriedade intelectual, dados, sejam estruturados ou não e backups para ambas as empresas.

  • Use frameworks e ferramentas de mercado para facilitar os levantamentos, fuja das planilhas e soluções caseiras. Mostre profissionalismo para os seus investidores ou futuros sócios.

  • Envolva seus departamentos de TI e GRC (Gestão de Risco e Compliance) para garantir que as camadas de proteção permaneçam intactas antes, durante e depois da migração;

  • Certifique-se de que haja um plano de recuperação, de forma que, se as camadas de proteção forem violadas, controles de monitoramento fortes estejam em vigor para detectar acessos não autorizados.

Os líderes de negócios e de segurança devem tomar as medidas preventivas e de detecção necessárias para garantir a devida diligência, vigilância e transparência durante todo este processo.

É muito difícil obter proteção total contra ameaças à segurança corporativa, especialmente com o aumento da pressão e da concorrência no mercado que leva as empresas a unir forças ou buscar investimentos no mercado.

No entanto, não há desculpa para cortar custos nessa diligência quando, dependendo do tamanho das empresas e da gravidade de quaisquer vulnerabilidades descobertas antes, durante ou depois deste processo, milhões de reais podem ser perdidos, sem mencionar os dados dos seus clientes, além da sua reputação e de sua empresa, que estão em jogo.

Sabemos que esse é um processo complexo, por isso você pode contar com a equipe da Protega Security Consulting para ajudá-lo. Nossa equipe de especialistas em GRC e tecnologias de Cibersegurança já apoiaram e apoiam diuturnamente centenas de empresas que mantêm os seus sistemas e dados seguros e documentados.  Entre em contato conosco e conheça nossos serviços.

Sobre a Protega

A Protega Security Consulting é uma empresa especializada em análise de governança, risco e compliance e em serviços de gestão de segurança da informação.

Com 19 anos de know-how em cibersegurança, buscamos entender as necessidades da sua empresa, com equilíbrio entre o investimento disponível e o máximo de segurança possível.

Nossa atuação é direcionada para a prevenção e gestão dos riscos, com serviços profissionais que abrangem desde a estruturação dos processos, implementação de soluções e, adequação às regulamentações e legislações – que, aliados ao constante monitoramento de ataques em tempo real, garantem as camadas de segurança cibernéticas que sua organização precisa.

Recentemente, Protega e Zillion se uniram e, a partir de agora, as empresas expandem suas operações dos escritórios de São Paulo, Campinas, Belo Horizonte e Nova York para Uberlândia e Goiânia, além de outras cidades que já eram atendidas pela Zillion.

SAIBA MAIS SOBRE A FUSÃO ENTRE PROTEGA E ZILLION

Autor

Protega